Os três tipos de formas que consomem menos energia cognitiva para que você consiga ser mais constante.

Quem não é visto, não é lembrado!

Esse ditado antigo é altamente verdadeiro e vamos te explicar porquê.

Você já ouviu falar em Daniel Kahneman?

Ele é um psicólogo e economista, ganhador do Prêmio Nobel de Ciências Econômicas por trabalhos revolucionários no campo da tomada de decisão e economia comportamental.

Uma das descobertas dele foi que nosso cérebro prefere focar em 3 tipos de formas.

Desde o momento que abrimos os olhos até o que fechamos, somos bombardeados por formas, se incluirmos o mundo digital, o número de formas triplica.

E toda forma que nós vemos é necessário um gasto energético de nosso cérebro para decodificar aquela experiência.

Porém, nosso cérebro é altamente adaptável, então ele começa a focar em 3 tipos de formas que consomem menos energia cognitiva.

Formas objetivas, intuitivas e familiares.

Tudo o que vemos pela primeira vez demanda um gasto energético alto, pois é algo ainda não conhecido pelo nosso cérebro. E quanto mais vezes aquela forma é presenciada, menos gasto é necessário para decodificação.

E o que torna algo familiar, principalmente é a quantidade de vezes que a presenciamos.

Independente do estímulo sensorial, quanto mais vezes, mais fácil e associativo aquela forma se torna.

A constância de conteúdo é uma das formas de se tornar familiar para o seu público.

Fazendo com que eles lembrem de você rapidamente.

Leave A Comment